Sinônimo de vida na Terra, a água toma conta dos noticiários como símbolo de doença e morte. Foi o que constatou uma vistoria realizada pelo Tribunal de Contas do Estado no serviço de distribuição e tratamento (sic) de água em 17 municípios do interior do Estado do Amazonas. Uma situação grave, crítica, que precisa de medidas tão urgentes quanto as que estão sendo tomadas em relação aos presídios.

Afinal, estamos falando de milhares de vidas humanas em risco pela ausência do poder público. Não se pode mais conviver com situações dessa natureza e ficar de braços cruzados. As providências devem ser tomadas imediatamente, antes que o relatório se transforme em uma chacina sem armas de fogo.

Luz em colapso

Os problemas do Brasil só aumentaram nos últimos 12 anos e um deles é o colapso no sistema de geração e distribuição de energia elétrica. Em plena situação de terror que vive Manaus nos últimos dias, terça-feira o manauara foi surpreendido com mais um apagão, de responsabilidade da Eletrobras Distribuição Amazonas.

Desligamentos

Os desligamentos entre o Sistema Nacional e Manaus tem sido frequentes. A empresa, que já não é mais concessionária por total irresponsabilidade, resume todo o terror que se apoderou da população ante o aumento da onda de violência e a falta de energia, divulga apenas uma nota lacônica, sem explicar o inexplicável.

Todos atingidos

Apesar de a nota da empresa informar que apenas 40% das regiões da cidade ficaram sem energia, nas redes sociais os relatos falam de total colapso em todas as zonas da cidade. A falta de energia afetou, inclusive, serviços de internet e telefonia celular. E ninguém faz nada.

Soltura de presos

A população espera que essa história de soltura de presos para acabar com a superlotação nos presídios seja apenas força de expressão. Se com bandido preso a situação já está difícil para quem é gente do bem e tenta sobreviver a essa onda de violência, imagine soltar presos sem o necessário julgamento ou análise detalhada de sua periculosidade.

Pressa e perfeição

É bom lembrar o velho ditado de que a pressa é inimiga da perfeição. Em se tratando de criminosos, a situação é bem mais grave. Levaram presos para Itacoatiara e em menos de 24 horas trouxeram de volta a Manaus. Agora quer-se fazer um mutirão para soltar presos. Espera-se que as autoridades analisem muito bem a situação de cada preso.

Justiça seja feita

O que quer é que a Justiça se faça. Se o preso já cumpriu pena e tem até mandado de soltura expedido, é justo que seja libertado. Se alguém está esperando pelo julgamento – a maioria dos presos do Amazonas está nessa condição – que se julgue se ele é culpado ou inocente. O que não se pode é soltar preso para acabar com a superlotação dos presídios. Isso é um acinte.

Posts Relacionados